Cozinha vegana no FSM: A ALDEIA DA PAZ



por Claudia Lulkin, Nutricionista Ambientalista e Educadora Popular


A ALDEIA DA PAZ é o ponto de convergência “espiritualtermundista” – politizando os processos espirituais e espiritualizando a política.
Tem como bandeira a bandeira da Paz, do Calendário Maia, a bandeira branca com um círculo em ´vinho e tres bolas dentro desse círcuo que representam o encontro entre a ARTE, a CIÊNCIA e as RELIGIões, visão ecumênica que reúne todas as manifestações. O calendário Maia chama-se SINCRONÁRIO. è aí que as sincronias acontecem todo o tempo, orientando cada indivíduo numa CULTURA DE PAZ. A Arte é um valores maiores: TEMPO É ARTE.

Fotos: Claudia Lulkin

O calendário Maia segue o movimento da natureza, das LUNAÇÕES, de 28 em 28 dias e não de 30 ou 31 dias como o calendário gregoriano.
Na ALDEIA DA PAZ se pratica a auto-gestão, a sustentabilidade e Economia Solidária.
O alimento é vegano e é “pago” através do CHAPÉU MÁGICO, que é passado junto com as refeições.
Quanto melhor, mais deliciosa, mais bem elaborada e mais cheia de amor a comida, melhor funciona o chapéu mágico.

Por duas vzs nesta Aldeia o chapéu recebeu 50 reais. E ganhou um azeite de oliva de primeira extração, orgânico- premiado em Portugal com prêmio italiano.
Todos os espaços são construídos coletivamente e são “encantados” – embelezados com ARTE, para gerar mais alegria, encantamento e boas energias. A Cozinha ECOmunitária ganhou um fogão de chão, um forno para pães e tortas, duas bocas “foguete” feitos de BARRO AMASSADO coletivamente e cobertura de bambu em forma de tartruga.

A ALDEIA abriga o FOGO SAGRADO que é aceso antes do início do Fórum e fica aceso ao longo deste, sendo apagado somenteapós o final. o final.
Neste ano o ritual de acender a fogueira contou com a presença de vários sacerdotes de inúmeros movimentos religiosos: harekrshna, umbanda, naya bing, com muita percussão e encantamento.

A ALDEIA teve seu próprio palco, que é bem pouco acima das pessoas que ficam dançando em sua frente, pois no palco estão “irmãos” que já fazem suas próprias músicas e que “encantam” a festa à volta do fogo sagrado.
Todos os dias são feitas duas rodas de decisões coletivas e da escolha de voluntários para os trabalhos diários: buscar lenha, fazer as composteiras, limpar os banheiros secos, escolher ajudantes da cozinha…

Neste ano tivemos também a TENDA DE SUOR – TEMASCAL, ritual de fortalecimento de propósitos e a Tenda da Cura, onde se fizeram chás, pomadas, xaropes, cânticos.
A ALDEIA ainda abrigou a PRODUTORA CULTURAL COLABORATIVA que utilizou software livre para baixar fotos, vídeos e manter conexão com o mundo ao longo de todo o evento.
A ALDEIA começou a ser construída a partir do dia 15 de janeiro.
Ainda a FLOR DAS ABELHINHAS, espaço de brincadeiras, alimentação vegana e atenção às crianças da própria ALDEIA e do ACAMPAMENTO, único espaço para crianças, a TENDA GALÁTICA, local para oficinas sobre o Calendário Maia, sobre Xamanismo, sobre Moradas Circulares feitas com bambu…E o pórtico de entrada onde se situam os preceitos de quem participa da ALDEIA e onde são recebidos os novos aldeões e/ou visitantes, locais sempre “encantados” com ARTE.
Essa tecnologia social está alicerçada na ECOPEDAGOGIA E CIDADANIA do Instituto Paulo Freire, sob a direção de Moacir Gadotti, nos 34 anos do ENCA (Encontro de Comunidades Alternativas do Brasil), do Movimento do RAINBOW no mundo inteiro, nos “CHAMADOS DO BEIJA-FLOR” – encontros de visões.
Único espaço de garantida alimentação vegana.
www.iteia.org.br/aldeiadapaz2010

Alguns focalizadores: Leal Carvalho – maestro, compositor, de São Tomé das Letras; Marcos Mandala – bioconstrutor, calendário Maia, vive nas montanhas prox à Curitiba; Oscar – Xamã, guardião do fogo em todas as Aldeias da Paz do FSM nestes 10 anos; Marcos Ninguém, Nara e Fábio – Estação de Permacultura Aldeia 2012; Thomaz Enlazador – ecopedagogo da ONG Bicho do Mato, Pernambuco; Kaline Ribeiro – Bicho do Mato ; Claudia Lulkin – nutricionista; e Marco Krug – designer, paisagista e arte-reciclador da cozinha vegana de Porto Alegre; Mestre Chico – griô, educador popular; Zé do Rio – griô, poeta, escritor; Boriqua – representante do povo Boriqua de uma das ilhas das Antilhas (Porto Rico); Sieli – mãe da Estrelinha, focalizadora da Flor das Abelhinhas, viveu por 5 anos na Itália, Espanha e Portugal; Dario – italiano; e Julia, argentina, focalizadores do TEMASCAL; Maria Medianeira – psicopedagoga do Paraná, profunda conhecedora de Plantas Medicinais; Pedro Jatobá – designer, proponente da Produtora Cultural em software Livre e muitos muitos outros mais.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by claudinhaV on Setembro 29, 2010 at 19:22

    Possivelmente ninguém tenha lido este material…Curiosamente me reencontro com minha própria experiência postada virtualmente mas acontecida nos mundos reais…
    Ou teria sido um sonho coletivo com 350 pessoas vivendo experiência idílica numa construçãopermacultural vegana!!!!!
    Para os que viveram….surpreendentes sincronias.
    Recém perdemos a chance de levar a experiência para o México mas….continuamos fluindo na PAZ e pela Cura do Planeta.

    Responder

  2. Vcs são D +++++++++
    infinitamente
    carinho
    amor

    AHÕ

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: