Archive for the ‘ONG’ Category

Abolicionismo Animal

Texto sobre Abolicionismo Animal feito para a apostila do 1° Educaveg – reunião de veganos, vegetarianos e onívoros de Assis e região, realizada pelo coletivo V.I.D.A. (Veículo de Intervenção pelo Direito Animal) em conjunto com a Fábrica da Leitura

Assim como o racismo afirma a superioridade de um grupo racial sobre outro, e o sexismo a superioridade de um sexo perante outro, o termo ESPECISMO significa julgarmos uma espécie superior a outra. Na escravidão animal, o especismo qualifica e justifica a exploração de animais não-humanos por animais humanos. Assim como os brancos tentaram impor-se sobre os negros (racismo), ou os homens sobre as mulheres (sexismo), hoje nós, humanos, tentamos nos impor sobre outras espécies de animais não-humanas. Tornando-as simples objetos e mercadorias, sem valor inerente, ou seja, o valor de suas vidas está diretamente relacionado ao uso que nós fazemos dela. Deixamos, portanto, de considerar o interesse desses animais em sua própria vida e liberdade. Continuar a ler

Anúncios

Vanguarda Abolicionista faz protesto no 1º de Maio

Fotos: Leonardo Rocha e Rafael Santini

O grupo Vanguarda Abolicionista se fez presente junto às atividades promovidas pela CUT por ocasião do 1º de Maio, Dia do Trabalhador, neste sábado. No espelho d’água da Redenção, em Porto Alegre, foi montado palco para shows de hip-hop e de música gaúcha, com bandeiraço da CUT, sindicatos e partidos da esquerda, e gravação do programa de TV ‘Coisas do Sul’. Desde as 8h, houve farta distribuição de material político para o público presente, e a Vanguarda Abolicionista marcou presença com uma faixa escrito ‘Libertação Animal’ e dois banners coloridos, contra o consumo de carne e contra o uso de couro.

Os frequentadores do parque, muitos com seus animais de estimação, se mostraram simpáticos ao discurso abolicionista, apesar do estranhamento das imagens e mensagens, à primeira vista. Entre os ativistas, a nutnicionista Claudia Lulkin cativava os passantes com uma conversa provocativa mas envolvente. Uma professora aposentada parou para conversar, e contou que certa vez, em Bagé, esteve em uma palestra sobre animais, e na hora das perguntas pegou o microfone para reclamar que a palestrante usava casaco de Chinchilla. “Depois até fui advertida, por ter causado constrangimento. Mas quantos animais foram mortos só para ela usar um casaco? E depois dá palestra falando de animais”, aponta.

Populares também se aproximaram para pedir orientação em casos envolvendo animais. “Abandonaram um pitbull em frente ao Colégio Luciana de Abreu, e agora ele circula pela Jerônimo de Ornelas, com moradores de rua. Liguei para a Prefeitura e para outros órgãos, e ninguém quis se responsabilizar”, reclamou uma passante. Os ativistas tomaram nota das informações e explicaram que o resgate poderia ser feito por voluntários da proteção animal, que agem com seus próprios recursos.

O deputado estadual Raul Carrion, do PC do B, passou para cumprimentar os ativistas, e recebeu de presente um DVD do documentário ‘Não Matarás’, produzido pelo Instituto Nina Rosa. O ministro da Justiça, Tarso Genro, estava a poucos metros do local, mas não chegou a travar contato com o grupo, que já aguardava com um kit de materiais para entrega.

A mobilização se encerrou perto das 14h, com saldo positivo pelos contatos realizados e o volume de panfletos distribuído, inclusive na tradicional Feira Orgânica, que acontecia junto ao Parque da Redenção. O sábado frio, mas com Sol forte, foi dedicado aos trabalhadores humanos e, pela ação da VAL, aos não-humanos.

√єgєταяīαηīىмσ э Éтicα™®.

Evento Ativeg! Confinamento, uma prática cruel II

Prezados amigos e amigas ativistas!

É com grande satisfação, energia e empolgação que transmito a todos vocês o mais novo evento que será realizado pelo Ativeg, chamado “Confinamento, uma prática cruel”.

O objetivo do evento é de divulgar à sociedade os maus tratos e abusos cometidos aos animais pela indústria da alimentação, pesquisa, vestuário e entretenimento, que além de explorarem e ceifarem a vida de bilhões de inocentes condicionam os mesmos em jaulas sujas, minúsculas e precárias.

Ajude-nos a denunciar estas atrocidades! Precisamos lutar para que os animais readquiram o direito da vida e da liberdade e esta mudança só será conquistada com a força de todos que lutam por um mundo melhor. Juntos, teremos mais voz para combater estas atrocidades. Não lutamos por jaulas maiores, mas sim, VAZIAS!

O evento contará com a divulgação de banners, panfletagem e ações performáticas. Como destaque, teremos 3 jaulas onde alguns voluntários se prontificaram a ficar 12 horas seguidas sem comer, beber ou ter acesso à um banheiro, representando assim, por um curto espaço de tempo, o que os animais são obrigados a vivenciar durante suas vidas.

Conto com a colaboração de todos vocês divulgando esta mensagem e imagem nas demais comunidades de vegetarianos/protetores dos animais, bem como reproduzindo a divulgação através do Orkut, amigos, listas de email, etc.

Peço que os voluntários que participarão se apresentem aqui, assim todos podem se conhecer melhor. Você nunca foi em um evento do Ativeg? Não se preocupe, somos uma grande família e receberemos você e seus amigos de braços abertos!

Mais informações.Publicar mensagem

Evento:
Confinamento, uma prática CRUEL

Quando?
Dia 11.04.2010, das 08:00 às 20:00

Onde?
Av. Paulista, ao lado do MASP (São Paulo-Capital)

Dúvidas?
daniel@ativeg.org ou msn rebeladu@hotmail.com

via √єgєταяīαηīىмσ э Éтicα™®

Campanha Vegetariana em Las Vegas “Go Veg”


Billboard colocado pela ONG Mercy For Animals em Las Vegas. Diz a campanha: “Por que amar um e comer o outro?”

A previsão é de que os nove billboards espalhados p
ela cidade serão visto por nove milhões de pessoas.

A campanha provocativa apresenta um cachorro adorável e um porquinho adorável sentados lado a lado e a pergunta: “Por que amar um e comer o outro?” Outro projeto apresenta um gatinho e um pintainho, com a mesma pergunta. Os motoristas são incentivados a “Escolha Vegetariana” e visitar ChooseVeg.com e VegasVeg.com para informações adicionais. Os anúncios, patrocinados por membros locais do Vegas Veg, será visto por mais de 10 milhões de vezes no mês seguinte.




via √єgєταяīαηīىмσ э Éтicα™®: Campanha Vegetariana em Las Vegas “Go Veg”.

Operação Pássaro Cativo II – uma campanha “Petshop legal não vende animal”

Sociedade Vegetariana Brasileira

Grupo Rio e Ativistas Independentes

Até que todas as gaiolas estejam vazias.

SVB.ORG.BR

Cavalgada do Mar

Vereadores querem conhecer cronograma para Lei das Carroças

Fonte: VAL – VANGUARDA ABOLICIONISTA

F

por Vítor Bley de Moraes

A Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana da Câmara (Cedecondh) discutirá, na próxima terça-feira (9/3), a regulamentação da chamada Lei das Carroças, em vigor há um ano e meio. Na reunião, sugerida pelo vereador Sebastião Melo (PMDB), os vereadores pretendem saber da prefeitura quais ações já foram implantadas, assim como avaliar os planejamentos e prazos.

A lei aprovada pela Câmara estabelece prazo de oito anos para a retirada gradativa das carroças das ruas de Porto Alegre, com políticas de inclusão social aos carroceiros. Foram convidados a participar a Secretaria Municipal de Governança Local, Smic, Smam, Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal de Segurança Urbana, SMGAE, DMLU, EPTC, Fasc, Smed, Demhab, GVP, PGM e Ministério Público Estadual. O início está previsto para as 14h, na sala 302 da sede do Legislativo municipal (Av. Loureiro da Silva, 255).

Ouvintes da Rádio Gaúcha rejeitam Cavalgada do Mar

Nesta terça-feira, di 2 de março, o programa ‘Polêmica’, apresentado por Lauro Quadros na Rádio Gaúcha, debateu a Cavalgada do Mar. Das 2100 pessoas que ligaram para participar, 59% foram contra o evento, e 41% a favor. Para ouvir o programa, clique em

http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=103035&channel=232.

“Cavalgada do Mar” na Rádio Gaúcha, nesta terça

Nesta terça, 2 de março, às 9h30min, em POA/RS, o programa ‘Polêmica’, do jornalista Lauro Quadros, abordará a Cavalgada do Mar (saiba mais), evento “tradicionalista” gaúcho que têm gerado intensos debates devido aos maus tratos sofridos pelos cavalos.

Defendendo a Cavalgada estará Vilmar Romera, presidente da Fundação Cavalgada do Mar, que afirmou recentemente na Imprensa que “O animal tem de ser preparado. Esse é um problema do dono do cavalo. É como mulher. Se tu não tratares bem, vais levar guampa”.

Detalhe irônico: o lema da cavalgada deste ano era ‘Mulheres a Cavalo pelo Rio Grande’.

A cavalgada da gordura!

Qual o sentido da Cavalgada do Mar? Depois que morreram dois cavalos e 15 adoeceram no primeiro dia da cavalgada, acendeu-se a polêmica.

Fui me socorrer no nosso mais importante tradicionalista. O folclorista Paixão Côrtes não vê propósito nessa cavalgada. Disse mais: que cultuar a tradição não é só cantar, dançar e beber.

As entidades de proteção dos animais protestam.

*

Pensando bem, parece tanto ridículo quanto cruel submeter os cavalos ao percurso de 240 quilômetros em oito dias. Ainda por cima, cada um com um cavaleiro no dorso. É desumano. Se já o é para o cavaleiro, imagine para o cavalo.

Some-se a isso a época por todos os títulos inadequada, calor sufocante e sol escaldante.

*

Sob o ponto de vista dos cavalos, há vários inconvenientes que levam à morte e à doença dos animais, mas ressalto dois: grande parte dos cavalos é forçada ao caminho longo com obesidade, animais bem tratados e nunca treinados, mais aumenta a gordura.

Outra questão é que, quanto maior o peso do cavaleiro, maior o esforço que o cavalo terá de fazer. Grande parte dos cavaleiros é de obesos. Se o cavalo não estiver preparado, pode não aguentar o peso de sua montaria, principalmente debaixo de sol forte, como é o caso dessa cavalgada.

*

E os cavalos que mais sofrem nessa cruzada litorânea são justamente os cavalos mais obesos, o que estão acima do peso ideal. Dizem os veterinários que os cavalos gordos, além de suportar o esforço, são os mais suscetíveis de ataques cardíacos. E a gordura dos animais é encarada como sinal de beleza pelos proprietários. São animais sedentários, montados apenas nos finais de semana e superalimentados.

Ora, para qualquer prova de resistência é necessário, como nas maratonas, um treinamento intenso para os participantes. Esses cavalos não têm treinamento algum e são jogados a essa superdistância sem nenhuma orientação.

*

Temos, então, gordura dupla: gordura dos cavalos, gordura dos cavaleiros, segundo foi divulgado por Zero Hora.

Devia se intitular de Cavalgada da Gordura.

Só que o cavaleiro gordo monta o cavalo e toca para a praia. Enquanto que cabe ao cavalo o sacrifício extremo de transportar em seu lombo o cavaleiro gordo.

É uma desumanidade. Ou uma desequinidade.

*

O meu amigo Vilmar Romera, presidente da Fundação Cultural Cavalgada do Mar, saiu-se graciosamente ao explicar a morte dos cavalos: “O animal tem de ser preparado. Esse é um problema do dono do cavalo. É como mulher, se tu não a tratares bem, vais levar guampa”.

Mas o que é isto? Nessa situação, perde o marido traído, mas, na situação da cavalgada, cavalo maltratado é prejuízo só para o cavalo.

*

Romera diz ainda, como líder, que não tem autoridade para vetar a participação de ninguém na cavalgada e não tem culpa por alguém matar o seu cavalo.

Mas o que é isto, Romera? Esta responsabilidade é exclusiva da organização da cavalgada. Se ela não intervém, ninguém intervém.

Ou melhor, intervêm adequadamente as associações protetoras dos animais, únicas entidades que podem defender os pobres cavalos.

Não resta dúvida, tem de suspender essas cavalgadas, imediatamente. Não sou eu, alienado, que estou dizendo. É o Paixão Côrtes, minha gente!

Tem de acabar para sempre esse irracional exibicionismo para os banhistas.

por Paulo SantAna – Zero Hora, 1º de março de 2010

Continuar a ler

Greenpeace lança campanha para que o Facebook use energia renovável

A ONG Greenpeace iniciou nesta segunda (22) campanha para que a rede social Facebook tenha uma política mais verde, utilizando energias renováveis. O título escolhido para campanha foi: “Queremos que o Facebook utilize energia 100% renovável”.

A razão desta movimentação é que o Facebook anunciou a construção de um centro de dados em Oregon/Estados Unidos cuja energia será suprida a partir do carvão – uma das fontes que mais contribui para o aquecimento global.

Centros da dados consomem grande quantidade de energia para armazenar os conteúdos de seus usuários. Com o crescimento das redes sociais, a tendência é o crescimento da demanda de energia. Se o Facebook continuar com sua política de energia “suja”, estará contribuindo cada vez mais com o aquecimento global.

A ONG chama os simpatizantes da causa para participarem através do LINK

Fonte: Aqui Acontece

via Planeta Vegetariano