Plantas também sentem dor e medo. Então temos que parar de comer plantas também.

Uma folha seca não é um cadáver
“No prato jaz um pedaço de músculo, amputado da região pélvica de um animal bem maior que você (e morto por outra pessoa). Com a faca, você serra os feixes musculares. A seguir, coloca o tecido morto na boca e começa a dilacerá-lo com os dentes. As fibras musculares, células compridas – de até 4 centímetros – e resistentes, são picadas em pedaços. Na sua boca, a água (que ocupa até 75% da célula) se espalha, carregando organelas celulares e todas as vitaminas, os minerais e a abundante gordura que tornavam o músculo capaz de realizar suas funções, inclusive a de se contrair.

Sim, meu caro, por mais que você odeie pensar que a comida no seu prato tenha sido um animal um dia, você está comendo um cadáver. Carne é tecido animal, em geral muscular. As fibras que a compõe são feixes de células musculares, enroladas umas nas outras. Em volta delas há uma cobertura de gordura, cuja função é lubrificar o músculo e permitir que ele relaxe e se contraia suavemente. Ou seja, não há carne sem gordura.”

A senciência dos animais
Os vegetais morrem, porém não são sencientes. Ou seja, os animais não-humanos sofrem, buscam o prazer e evitam a dor. Para eles, os conceitos de sofrimento e morte existem e são percebidos. Os vegetais não possuem senciência, logo analisar o que significa sofrimento e morte para um vegetal carece de lógica, já que, para um vegetal, não há coisa alguma que signifique algo, por ausência de algo similar a um cérebro, bem como de sistema nervoso central.

Contudo, ainda que se admitisse que os vegetais sentem dor e desejam permanecer vivos, apenas para argumentar com tais pessoas, a maior parte dos vegetais consumidos no mundo se destina à criação de animais para o abate. Logo, eventual defesa do “bem-estar” dos vegetais envolveria tornar-se vegan/vegetariano, pois assim menos vegetais sofreriam e seriam mortos.

Mas é importante notar que mesmo as pessoas que invocam essa absurda suposta senciência dos vegetais, que não possui o menor respaldo científico, nem lógico (já que a dor é um mecanismo de sobrevivência que um ser vivo possui, a fim de que este opte pela fuga ou ataque em momentos de necessidade, não havendo, assim, sentido na idéia de um vegetal, que não pode fugir nem atacar, sentir dor), em sua esmagadora maioria, nem concordam com a premissa invocada por elas. Trata-se de uma estratégia argumentativo-defensiva. É como se, alegando que vegetarianos causando sofrimento se alimentando de vegetais, elas aplacassem suas consciências, já que, se elas causam morte e sofrimento, vegetarianos também, adotando tal axioma. Isso para que elas possam dormir sem a consciência pesada, crendo – ou fingindo crer – que, embora elas causem o mal com a sua alimentação, os vegans/vegetarianos também o fariam.

Animais não são commodities, mas seres sencientes.
Animais sencientes: consciente de sua percepção sensorial, logo tem preferências, desejos ou vontades. Sente alegrias e tristezas. E possui interesses, inclusive o interesse de evitar a dor e o sofrimento.”

Frugivorismo:
Frugívoros são vegetarianos. Mas vegetarianos NÃO são necessariamente frugívoros!
Definição de frugivorismo: “Os frugivoristas não só rejeitam carne, como evitam machucar ou matar vegetais. Por isso, comem apenas aquilo que as plantas “querem” que seja comido: frutas e castanhas. Consideram o consumo de folhas, caules e raízes uma violência. A dieta não é das mais saudáveis, já que é pobre em proteínas e em minerais”.

236 responses to this post.

  1. Posted by Caique on Junho 1, 2017 at 20:15

    Então vamos todos cagar e comer nossa propiá merda e beber nosso xixi pois eles não são vivos.

    Responder

  2. Posted by carne on Maio 14, 2017 at 03:16

    ser senciente quer dizer “nao comestivel” ? uma delicia uma picanha sangrenta!

    Responder

  3. Posted by Neto on Abril 5, 2017 at 05:31

    Foda-se a discussão e bora marcar um churrasco!!!

    Responder

  4. Posted by Neto on Abril 5, 2017 at 05:31

    Foda-se a discussão e bora marcar um churrasco com bastante picanha!!!

    Responder

  5. Posted by Enildo on Março 22, 2017 at 13:27

    senciente – significado: que tem sensações, impressões.
    É certo que o animal sinta e reaja, porém, a “consciência” ainda é atributo humano.

    Responder

  6. Uma pergunta, frutos do mar são sencientes? O quão diferente são em relação a plantas no que tange a dor? Obrigado.

    Responder

  7. Posted by Gustavo on Janeiro 23, 2017 at 05:30

    Muito obrigado pela explicação. Fiquemos todos com Deus e nos cuidemos bem sempre, bem como cuidemos bem sempre dos demais seres.

    Responder

  8. Posted by Eliseu on Dezembro 1, 2016 at 16:27

    Nova receita então: vamos todos comer terra, areia e barro que contém todos os ingredientes necessários pra nossa existência!!!!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!! O importante é que tanto os vegetarianos quanto os carnívoros devem entrar num consenso respeitoso onde os dois entendam e respeitem ambos os pontos de vistas,pois, ninguém é obrigado a seguir o ponto de vista do outro, mesmo levando em consideração o fato de alguns alimentos poderem ser substituídos por outros. É fato também, que um das maiores fontes de proteína se encontra na carne mas a questão é simplesmente de escolha é não só de consciência, sendo assim a liberdade de escolha é direito de todos assim como o dever do respeito! .
    Particularmente gosto muito de uma carne cozida com bastante vegetal (conhecido como cozido no Nordeste), oque faço? Me concientizo de não comer carne ou vegetal se ambos sentem dor? Ou simplesmente continuo garantindo minha existência comendo um pouco dos dois ( claro que sempre consciente com relação a alguns abatedouros (pelas suas formas de abaterem o animal ) que muitas das vezes o fazem de formas cruéis). A lei,por mais que nós seres humanos sejamos civilizados ainda é a da sobrevivência do mais forte mesmo que isso siguinifique o abate de outros seres indefesos para garantia de suas existências, dura mas infelizmente a única verdade!!!!

    Responder

    • Eu não sei por quê eu estou te respondendo , mas vamos la seu cabeça de minhoca. Primeiro você afirmou que: ” O importante é que tanto os vegetarianos quanto os carnívoros devem entrar num consenso respeitoso onde os dois entendam e respeitem ambos os pontos de vistas,pois, ninguém é obrigado a seguir o ponto de vista do outro, mesmo levando em consideração o fato de alguns alimentos poderem ser substituídos por outros”. Sendo que não foi você mesmo que disse ?: ”Nova receita então: vamos todos comer terra, areia e barro que contém todos os ingredientes necessários pra nossa existência!!!!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!”. Contrariando a sua própria argumentação (parabéns, isso , não é para qualquer um). O importante é que você deu uma opinião bem formulada com razão á questão do preconceito feito sim pelos dois. Porém, quando você diz: ”É fato também, que um das maiores fontes de proteína se encontra na carne”. Claro que evidentemente é uma criança e respeito isso , tanto que estou perdendo o meu tempo para te ensinar. Bom se você não costuma estudar antes de afirmar uma coisa , vou simplificar pra você: se você não sabe o Bacon possui 37 g de proteína a cada 100 gramas, sendo que a Soja possui 81 g de proteína a cada 100 gramas. Ou seja , nosso corpo precisa de proteína para ter um equilíbrio saudável, porém a Soja além de ter o triplo de proteínas ela não possui gorduras não saudáveis para o nosso corpo. De novo eu tenho que te parabenizar. Por último vou te apresentar uma serie de argue=mento cientificamente comprovados não só pelos cientistas ,mas como também a nossa sociedade, que são:
      1° Mais 50% de todos os grãos do mundo são destinados à criação de animais para abate. Imagine quanta gente poderia ser alimentada com toda essa comida.
      2° Enquanto 850 milhões de pessoas passam fome no mundo, 70 bilhões de animais são alimentados anualmente para abate.
      3° Tirando isso ,cerca de 80% do desmatamento da Amazônia foi causado pela atividade pecuária. Sem deixar em conta que produzir 1kg de carne consome 12x mais terra, 13x mais combustível fóssil e 15x mais água do que o necessário para produzir 1kg de soja.
      4° Sendo que deixando de comer carne, leite e ovos você economiza mais CO2 do que ao dirigir um carro elétrico. Sabendo que a criação de animais para consumo (incluindo o espaço de terra usado para o cultivo de grãos para alimentar os animais) utiliza 30% de toda a área terrestre do planeta.
      5° Não se esquecendo que mais de 50% de todo consumo de água doce do planeta é usado pela pecuária. Apenas cerca de 6% é consumido nas cidades e residências, pelo motivo de se produzir 1 kg de carne bovina, são necessários 15.500L de água. Para se produzir 1 kg de batata são necessários 800L.
      6° Ops! quase esqueço ,a indústria da carne é a maior fonte de poluição de águas e rios do mundo com resíduos de animais, fertilizantes químicos, pesticidas, antibióticos e muitos outros.
      7° Os animais usados hoje para esta indústria são extremamente dóceis, inteligentes, sensíveis e compassivos. Alguns deles, como o porco por exemplo, são mais inteligentes do que cães e gatos.
      8° O consumo de carne é o maior responsável pelas ações que provocam o aquecimento global e pela total impossibilidade de eliminar a fome mundial.
      9° Nós não precisamos da carne para viver. Tanto que se você calcular : Enquanto o Bacon possui 37g de proteína a cada 100 gramas. O Soja possui 81g a cada 100 gramas.
      10° E por ultimo, não existe desculpas agora, basta cada um lutar pelo o que acredita para melhorar o mundo em que nós vivemos agora. Tente pelo menos uma só vez se colocar no lugar daqueles que são inocentes e não possuem a habilidade de defender. Sei que consegues fazer isso, pois dentro de cada um de nós existe uma esperança, uma esperança de tornar o mundo melhor junto com os Animais.
      Obrigado por ter lido até aqui.

      Responder

      • Posted by Guilherme Lima on Maio 23, 2017 at 17:58

        Soja faz muito mal cara… É só ver que tem cientistas provando quanto elas são maléficas, só no BR que é grande produtor que inventam que faz bem!!

        “O grão da soja é rico em substâncias que inibem a enzima tripsina, que se bem me lembro das aulas de Biologia do colégio, é essencial na digestão pois é responsável por quebrar as proteínas. Sem digerir bem as proteínas, o organismo fica vulnerável a doenças.

        Além dessas substâncias, a soja contém hemaglutinina, que aumenta a viscosidade do sangue e a probabilidade de coagulação. Também encontramos fitatos ou ácidos fíticos (presentes em todas as sementes), que impedem a absorção de substâncias vitais como magésio, ferro, cálcio e zinco. Os problemas que podem surgir são vários: enxaquecas, osteoporose e anemia.”

        Tem muita mais coisas que não está no trecho citado aí, pesquise e verá.

        Responder

  9. Posted by Renab on Novembro 30, 2016 at 22:40

    Mas se você consome os vegetais produzidos isso significa uma redução no consumo de vegetais por animais entao basicamente você irá mata los de fome pois a natureza nao produziria alimentos suficientes para o consumo de todos os seres humanos. Deus separou as espécies para que não houvesse a extinção pela carência do “combustivel” que faz com que permaneçam vivos. Os próprios animais em alguns casos se alimentam da carne dos outros e tais notamos que ainda há a permanencia de suas espécies por muitos anos. Se parármos com o consumo animal que era feito a séculos e séculos poderiamos matar nossa população de fome. Hoje há vegetais que possuem um oreço altissimo por conta de sua exclusividade e pouca produçao o que leva a maioria dos individuos optar por outros mais baratos. Se todo o mundo se alimentasse de vegetais nao haveria suficiente para todos e o preço seria absurdo

    Responder

  10. Posted by GabrielAngel on Novembro 28, 2016 at 18:16

    Ok, então plantas sentem dor e sofrimento, logo, devemos parar de comer plantas. Só que animais também sentem dor, então devemos parar de comer animais também. Vamo comer o quê então?! Acho que nenhum dos lados está certo, deixar de comer plantas e animais por causa da dor que eles sentem não é lógico, que morramos de fome então ou que comamos materiais que não necessitam de morte nem de animais, nem plantas, como o queijo, mas, sinto muito, coisas morrem, danem-se os vegans, danem-se os carnívoros, eu nunca me atormentei pelo fato de estar comendo um “cadáver”, fato tão desnecessariamente romantizado neste artigo. Nada vai fazer o mundo parar de consumir carne animal, e que se dane mesmo isso, se a raça humana acabar por causa disso, vai ser até melhor, o planeta era melhor antes de nós nos auto-intitularmos como donos do mundo.

    Responder

  11. Posted by Mayara. on Agosto 3, 2016 at 09:08

    Puxa, quanta ignorância!
    Defender a vida não é nada errado, errado estão vocês que não pesquisam e agem ou falam sem raciocinar, dentre as plantas e os animais, somos os animais racionais, por que não usam?
    As plantas de todos os comentários citados, SÃO PLANTAS PARA SEREM CUIDADAS, REGADAS E DEIXADAS PARA COMPLETAREM SEUS CICLOS.
    Não comemos samabaias!
    Vegetais, verduras, frutas etc, são exatamente para consumo humano, no entanto precisam da água e do solo para que possam crescer e então ficarem prontas para serem colhidas, fora isso, apodrecem!
    Parem de falar as neiras e confundir plantas, flores, árvores, com alimentos propícios a alimentação humana, independente de ser animal irracional ou racional.

    Responder

  12. Posted by Luiz Carlos Ambrósio on Julho 20, 2016 at 02:05

    Eu sinto dor na planta dos meus pés.

    Responder

  13. Posted by Cacaroto de Deus on Junho 9, 2016 at 15:45

    Não tentem entender a lei de Deus
    Apenas cumpram

    Responder

  14. Posted by Cacaroto de Deus on Junho 9, 2016 at 15:28

    Se for-mos pensar que tudo que comemos sente dor e sofre
    Não vamos mais comer nada
    É a lei da sobrevivência, é a lei da natureza. Deus permitiu isso

    Responder

    • Posted by clayton on Julho 31, 2016 at 00:10

      é mesmo? me fala onde ta escrito? Deus tambem preparou o mana e os seres humanos estupidos preferiram carne. Nao fala de religiao para justificar sua incapacidade de parar de matar.

      Responder

      • Posted by Anônimo on Setembro 21, 2016 at 13:33

        Desde a evolução das espécies, criamos lanças e ferramentas para caçar animais, não brócolis! Nosso Sistema Digestório foi todo adaptado para a digestão de CARNE. Somos CARNÍVOROS, topo da cadeia alimentar (NASCEMOS ASSIM).

        O Sistema Digestório de um animal herbívoro é adaptado para a digestão de vegetal: Seu intestino é bem mais alongado, já que o vegetal tem poucos nutrientes e é de fácil digestão (come e defeca, quase nada absorve), por isso, quanto mais tempo aquele alimento ficar passando pelo intestino, maior será a absorção de nutrientes; o ceco (ou apêndice cecal) também é bem desenvolvido nestes, sendo este um órgão linfático dotado por grande quantidade de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo (VARELLA, 2015), porque aquele local necessita de mais proteção.

        Já o Sistema Digestório de um animal carnívoro, foi tooodo adaptado para a digestão de carne (que surpresa): A carne é altamente nutritiva, por isso, o intestino é bem menor e o ceco também, já que a necessidade de proteção por glóbulos brancos não é tão necessária.

        Mudar assim, drasticamente a alimentação, da carne e vegetal (semente, raiz, caule, folhas, flores, frutos etc) para somente o vegetal é um risco muito grande e pode causar problemas irreversíveis. Sou defensor dos animais e tenho muito ódio de empresas que sacrificam seus animais de maneira brutal e covarde, e LUTO pelo fim disso (não faço só a “minha parte”). Porém, o que se deve ter em mente e ter a total certeza é de que se você parar de comer carne totalmente, vai causar uma loucura no seu organismo (a não ser que já tenha nascido com espírito de vegetariano/vegano e nunca tenha comido carne na vida. Talvez assim seu organismo acostume, caso contrário, é impossível), a carne é a principal fonte de proteína, precisamos dela para tudo, nossos anticorpos são proteínas. Enfim… CUIDADO!

        -Graduado em licenciatura e bacharel em Ciências Biológicas;

        Responder

        • Posted by KARLA PINHEIRO MONCAYO on Novembro 14, 2016 at 21:25

          Santa ignorância..

          O ser humano não é carnívoro, o fato do nosso corpo aceitar a ingestão de carne, não nos torna carnívoros. Carnívoros são as espécies que foram criadas para ingerirem apenas esse tipo de alimento e são capazes de caçar esses alimentos naturalmente. O que não é o caso do humano, que ao criar instrumentos para caça não o torna carnívoro natural, uma porque não tem presas, e outra porque duvido que você saia no meio da mata caçando naturalmente sua própria comida.. É fácil ser “carnívoro” escolhendo seu resto de cadáver em supermercados não é mesmo?
          Outra tamanha ignorância..Nosso corpo não só pode viver regularmente sem a carne, como funciona melhor! Não sou vegetariana desde o nascimento, e concordo que meu corpo mudou drasticamente quando passei a não comer carne, ele funciona melhor! Sofria de constipação, não sofro mais! Sofria com anemia (puuuuxa, e olha que comia carne hein), não sofro mais! Sentia aquele famoso mal estar apos cada refeição, não sofro mais! Quer exemplos maiores? Pesquise no google por “atletas veganos/vegetarianos” vai encontrar vários “suicidas” de nutrientes saudáveis e com a saude , garanto, melhor que a sua! 😘🐓

          Responder

          • There are two main morphological trends through time in the evolution of the hominid line, increasing gracilization of the mandible and other cranial features, as well as an increase in cranial capacity. Many researchers interpret this mandible gracilization as being due to an increasing consumption of meat, which is less fibrous than plant foods and therefore easier to masticate. As discussed above, this inference is derived from comparisons between fossils of extinct hominids and crania of living primates whose diets are known. Researchers have also argued that there is a link between meat consumption and the second temporal trend, increasing brain size through time (Aeillo & Wheeler, 1995; Leonard & Robertson, 1994). The main inference is that larger brains mean greater intelligence; however, these larger brains are expensive in terms of energy needs, but were necessary for hominids as they allowed us to out-compete our competitors through increasingly complex culture and manipulation of the environment. The higher energy needs these larger brains required could be met by the consumption of meat, which is a more energy-efficient food than plants. The main recent proponents of this theory in the anthropological literature are Leslie Aeillo and Peter Wheeler, who published a paper in 1995 in Current Anthropology entitled ‘The expensive tissue hypothesis’ (Aeillo & Wheeler, 1995). They argue that our brains are much larger than we might predict, using ratios of expected organ masses to brain size for other mammals, and this increased brain size is due to increased needed intelligence, and the energy expense this incurs can best be met by the consumption of high-energy animal meat rather than plant foods. Their assumptions also infer an associated reduction in the size of the gut of our hominid ancestors, through time, to compensate for this increased brain size. Eating less plant food and more meat means our digestive systems do not have to work as hard, which allows this decreased gut size. The increased brain size, and therefore intelligence, allows us to manipulate our foods in ways that no other animals can, so intelligent hominids can use tools to cut up meat, as well as cook and further process foods, which also makes them easier to digest in our smaller guts.

            Another fruitful line of evidence for early hominid diets is from analogy with modern humans, rather than other living primates. In a recent paper Cordain et al, (2001) also argue that the observed increased brain size through time in the Homo line requires the consumption of animal products. They point out that there are two essential fatty acids, docsahexaenoic and arachidonic, that are essential to brain development in modern humans, and the best sources of these two fatty acids are bone marrow, and particularly ruminant brains. Therefore, the consumption of these animal products would have facilitated expansion in brain size and increased cranial capacity over the long term. Similar arguments regarding omega-3 fatty acids are presented by Chamberlain (1996, 1998).

            The above arguments, that the morphological changes in hominid crania can be explained by the increased consumption of animal foods through time, is strongly contested by researchers such as Nestle (1999) and Milton (1993, 2000). They argue, by analogy, that the majority of living primates are largely vegetarian, and that we, as primates, are best adapted to a mainly vegetarian diet. Milton (1993) writes that mandible size decreased due to the increased consumption of energy-rich plant foods such as fruits, and not necessarily meat. The complex skills required to harvest these energy-rich plants would also result in a selection for more intelligent hominids, with resulting increased brain size through time. This alternative hypothesis highlights the inadequacy of the use of analogy with living primates as a means to understand hominid subsistence, as the same lines of evidence can be used to support two opposing views. Clearly, additional lines of evidence are needed to resolve these two alternative explanations.

            http://www.nature.com/ejcn/journal/v56/n12/full/1601646a.html

            Responder

  15. Posted by Eu on Maio 25, 2016 at 12:09

    Este é um tema polêmico, mas o fato é que tudo é o equilíbrio. Eu poderia dar varios argumentos tanto para fundamentar o vegetarianismo quanto para justificar o consumo de carne.
    O fato é que tanto a planta como o animal são seres vivos, neste conceito todos tem direito a vida. Mas como nos vivemos num universo físico, não há como fugir da alimentação física, da cadeia alimentar.
    A grande questão é que para o Infinito não existe morte e vida. Na verdade tudo são ciclos. O equilíbrio está em comer com moderação, o estritamente necessário.
    Nas palavras de um grande Mestre:
    Nosso problema não está no que entra pela boca, mas sim o que seu da boca !
    Grande abraço, a todos.

    Responder

    • A Evolução humana e o consumo de carne animal:
      There are two main morphological trends through time in the evolution of the hominid line, increasing gracilization of the mandible and other cranial features, as well as an increase in cranial capacity. Many researchers interpret this mandible gracilization as being due to an increasing consumption of meat, which is less fibrous than plant foods and therefore easier to masticate. As discussed above, this inference is derived from comparisons between fossils of extinct hominids and crania of living primates whose diets are known. Researchers have also argued that there is a link between meat consumption and the second temporal trend, increasing brain size through time (Aeillo & Wheeler, 1995; Leonard & Robertson, 1994). The main inference is that larger brains mean greater intelligence; however, these larger brains are expensive in terms of energy needs, but were necessary for hominids as they allowed us to out-compete our competitors through increasingly complex culture and manipulation of the environment. The higher energy needs these larger brains required could be met by the consumption of meat, which is a more energy-efficient food than plants. The main recent proponents of this theory in the anthropological literature are Leslie Aeillo and Peter Wheeler, who published a paper in 1995 in Current Anthropology entitled ‘The expensive tissue hypothesis’ (Aeillo & Wheeler, 1995). They argue that our brains are much larger than we might predict, using ratios of expected organ masses to brain size for other mammals, and this increased brain size is due to increased needed intelligence, and the energy expense this incurs can best be met by the consumption of high-energy animal meat rather than plant foods. Their assumptions also infer an associated reduction in the size of the gut of our hominid ancestors, through time, to compensate for this increased brain size. Eating less plant food and more meat means our digestive systems do not have to work as hard, which allows this decreased gut size. The increased brain size, and therefore intelligence, allows us to manipulate our foods in ways that no other animals can, so intelligent hominids can use tools to cut up meat, as well as cook and further process foods, which also makes them easier to digest in our smaller guts.

      Another fruitful line of evidence for early hominid diets is from analogy with modern humans, rather than other living primates. In a recent paper Cordain et al, (2001) also argue that the observed increased brain size through time in the Homo line requires the consumption of animal products. They point out that there are two essential fatty acids, docsahexaenoic and arachidonic, that are essential to brain development in modern humans, and the best sources of these two fatty acids are bone marrow, and particularly ruminant brains. Therefore, the consumption of these animal products would have facilitated expansion in brain size and increased cranial capacity over the long term. Similar arguments regarding omega-3 fatty acids are presented by Chamberlain (1996, 1998).

      The above arguments, that the morphological changes in hominid crania can be explained by the increased consumption of animal foods through time, is strongly contested by researchers such as Nestle (1999) and Milton (1993, 2000). They argue, by analogy, that the majority of living primates are largely vegetarian, and that we, as primates, are best adapted to a mainly vegetarian diet. Milton (1993) writes that mandible size decreased due to the increased consumption of energy-rich plant foods such as fruits, and not necessarily meat. The complex skills required to harvest these energy-rich plants would also result in a selection for more intelligent hominids, with resulting increased brain size through time. This alternative hypothesis highlights the inadequacy of the use of analogy with living primates as a means to understand hominid subsistence, as the same lines of evidence can be used to support two opposing views. Clearly, additional lines of evidence are needed to resolve these two alternative explanations.

      http://www.nature.com/ejcn/journal/v56/n12/full/1601646a.html

      Por pesquisadores cientificos. 😉

      Responder

  16. Posted by Andressa on Maio 17, 2016 at 00:01

    se vc pesquisar mais saberá que s, sentem dor, medo, falam, leem pensamentos e tals
    mas tirar frutos as alegram, portanto n há problema em come-los 🙂

    Responder

  17. Posted by Andrea on Janeiro 9, 2016 at 11:27

    Como plantas não são sencientes!?!? Como não possuem interesse!?!? E quando se voltam para o sol buscando seus raios!?! E quando suas raízes vão longe procurando por água!?! Leia a vida secreta das plantas….terá uma surpresa…

    Responder

  18. Posted by Thiago on Dezembro 22, 2015 at 10:27

    A água também sente dor!!!!
    Não coma nada, não beba nada para não ficar de consciência pesada. PORRA.

    Responder

    • Posted by Cleber on Março 10, 2016 at 17:53

      A água que ingerimos, sinceramente falando, ela não morre, ou seja, ela continua viva em nós. Antes que bebamos um copo de água, já existe em nós um “rio” que percorre todo nosso corpo. Água não morre e sim contribui para a existência de outra vida.

      Responder

  19. Posted by Simone on Novembro 10, 2015 at 20:09

    Pergunte às pessoas que dizem que as plantas sofrem tanto quanto os animais se ela levam seus filhos ao abatedouro para ver como a carne é feita. Aposto que não, quando escondemos isso das crianças está detectado um problema moral. Com certeza preferimos levar os filhos numa horta para ver como os vegetais são colhidos.

    Responder

    • Posted by Cleiton on Janeiro 28, 2016 at 10:24

      Você está certa até a parte em que se considera que nós criamos e amamos os animais e comemos os vegetais. Isso cresce comum na cabeça da criança. Se tratássemos as plantas da mesma forma como tratamos os animais, não iríamos querer que nossos filhos assistissem a uma colheita também.
      Isso tudo é porque os animais, como o cachorro, são bem mais divertidos… correm, brincam, pulam… as plantas, tadinhas.. ficam ali paradas, buscando água para se ALIMENTAR.. e os raios solares para fazerem a fotossíntese.. respirarem… TADINHA, GENTE!!!

      Responder

  20. […] biológica do que com o nosso senso comum) e castanhas.  Eles acreditam que as plantas também sentem dor e têm sentimentos, então devemos comer apenas aquilo que a planta nos dá para que seja comido, ou seja, o fruto. […]

    Responder

  21. As plantas não sentem dor. Na evolução, aquelas plantas que desenvolveram processos de proteção (fechar-se ao toque, por exemplo), sobreviveram enquanto as insensíveis morreram. Assim é a seleção natural. As plantas não sentem medo e por isso se fecham. É um processo fisiológico e não mental!

    Responder

  22. […] É isso pessoal. Até a próxima. Referências Vista-se Anda Jor Vegetarianismo Vegetarianismo Veganismo Sociedade Vegan Mega Curioso Mega […]

    Responder

  23. Posted by priscila on Junho 15, 2015 at 04:31

    Nossa que povo grosso, se não concorda argumente com ciência e diplomacia!
    Gostei do artigo, não conheço muito sobre a senciencia vegetal, mas valeu por abrir um espaço para o debate, ainda que algumas pessoas não tenham
    civilidade para discutir de forma amigavél.
    Ê paizinho atrasado, quem sabe um pouquinho gosta de satirizar ao invés de argumentar ou explicar o por que da discordância.
    ” Eu posso nao concordar com o que diz,
    mas defenderei até a morte o seu direito em dizê-lo”

    Responder

    • Há um estudo sobre as formas de detecção de dor e perigo das plantas , assim como efeito sedativo , notou-se maior detecção nos vegetais que em animais , nada surpreendente uma vez que estes estão a mais tempo na escala da evolução. A diferença então é que como possuem um metabolismo muito mais lento que o dos animais não esboçam movimentação perceptível,(nem gritam) , isso faz com que o homem não se identifique com a dor de um vegetal. O mesmo acontecia com os peixes a pouco tempo atrás hoje sabe-se que se trata de um grupo de animais extremamente emotivos e sensíveis. https://www.youtube.com/watch?v=AdbDZ_OkA7E

      Responder

  24. “Mas quanta estupidez, pedantismo e conclusões falaciosas bobas nessas[suas] críticas ao texto.”

    Responder

  25. Posted by Daniel on Janeiro 16, 2015 at 17:28

    Mas quanta estupidez, pedantismo e conclusões falaciosas bobas nessas críticas ao texto. Os vegetais podem responder sim a estímulos sensoriais, mas são apenas reflexos fisiológicos que não envolvem a percepção de dor e sofrimento. Se fosse assim eu deveria só lamentar por todas as espécies de vegetais existentes, já seriam predestinados pela própria natureza a viver em dor e sofrimento de qualquer forma, invariavelmente.

    Imaginem uma árvore na natureza, sem ação humana alguma interferindo no seu desenvolvimento. Agora parem para imaginar a quantidade de insetos, bactérias, larvas, fungos, aves, roedores e mesmo outros plantas e etc, etc que se alimentam, parasitam, retiram, coletam, corroem e fazem buracos em sua estrutura, seja para utilizarem seu galhos para ninhos, seu tronco perfurado para abrigo, retirada sua seiva para alimentação, etc, etc, etc.

    Isso sem falar das grandes variações de clima e temperatura e intempéries da natureza a que estão sujeitas todo o tempo. Calor ou frio excessivos, geadas, neve, raios, etc, etc.

    Os vegetais estão sujeitos a isso tudo e mais o tempo inteiro, durante toda sua vida. Vocês acham que se adaptariam e evoluiriam normalmente se isso lhes implicasse dor e sofrimento?

    Não precisa sair procurando artigos pretensiosamente científicos não (tem muita coisa que é solta por aí por interesses escusos). Basta ter lucidez e bom senso.

    Abraços.

    Responder

    • Posted by Magrim on Maio 6, 2015 at 04:53

      Quanto aos insetos, bactérias, larvas, fungos, etc, todos seres vivos possuem uma ampla variedade de espécimes, tanto interna, quanto externa em seu organismo…

      Responder

    • Ué e o teu organismo tb não sofre ataques de fungos, bactérias , vírus e uma sorte variadíssima de parasitas intestinais , cutâneos, etc ? vc não sente dor por causa disso?

      Responder

    • Posted by Rodrigo on Agosto 31, 2015 at 15:32

      As plantas são seres vivos: nascem, crescem, se reproduzem e morrem. Só isso já basta pra pressupor que elas, por serem vivas, precisam de mecanismos para defender sua existência e dar continuidade a si mesmas. Logo, a sensibilidade seria um meio de realizar isso. Não há nada de absurdo em as plantas terem algum grau de sensibilidade. Isso só nos põem a observar que em nós, seres humanos, coexistem características da vida vegetal, da animal e da humana. Também há características do reino mineral em nós, diferentemente das plantas que não possuem características encontradas nos níveis superiores a si: animal e humano. E, do mesmo modo, os animais não possuem características somente encontradas em nosso nível: consciência de si mesmos, autocrítica, aprender conscientemente.

      Responder

    • Posted by Sandra Reggina Pereira on Setembro 2, 2015 at 13:00

      Ao homem durante sua jornada evolutiva sofreu dor, chorou, sangrou enfim evoluiu e está em evolução constante. Sofremos, sentimos dor e continuamos evoluindo. Os vegetais vêem evoluindo também e sofrem também com intempéries, frio, geada, calor. Já viu um prado coberto pela geada depois ao sol exposto? Perde a coloração, morre em partes e vira palha ao vento. Todo esse processo remete a questão evolutiva também. Morrer ou ser morto também faz parte do processo evolutivo. A matéria em transformação, segundo Einstein a desintegração e quanto os elétrons soltos vagam em busca de similaridade e juntam-se inteligentemente aos seus semelhantes formando uma nova vida, mineral, vegetal ou animal.
      Tão infinito isso tudo e pensar nessa pequena estrutura chamada Terra, perdida no Universo, onde tudo é tão escasso, e se estamos no topo da cadeia alimentar por que não ingerirmos proteína animal achando e supondo-se escapar dessa terrível escala evolutiva ensejando que por pura e simplesmente (bias) não comendo outro animal seremos superiores aos que ainda permanecem “não – evoluídos” lá na fila do açougue comprando uma suculenta picanha para o tradicional churrasco do domingo?

      Responder

  26. Vai ser difícil achar um texto tão idiotizado, arrogante e repleto de ignorância científica. Espécimes como a autora “disso” são responsáveis pelo afastamento da cultura e filosofia Vegetariana ou Vegana.

    Responder

  27. Posted by Geruza on Dezembro 19, 2014 at 21:39

    É muita sacanagem do Criador mesmo colocar na natureza algo vivo, que sente dor, e não pode ao menos se defender ou correr…o dia que um vegetal ou fruta tiver coração, sangrar e sair correndo gritando na hora de colher ou da minha mão eu deixo de comê-los tbem!

    Responder

  28. Posted by Mirella Sá on Dezembro 18, 2014 at 23:47

    Por que é tão difícil respeitar a busca individual de cada um?
    Eu estou caminhando no veganismo e não importa o que falem de bom ou de ruim. A escolha foi devido ao desconforto que eu percebi sentir ao comer carne, desde que tomei mais consciência dos processos energéticos e fisiológicos do meu corpo.
    Dane-se a opinião de quem quer que seja.

    Responder

  29. eu acho desnecessário parar de comer o que quer que seja, é a lei da vida, evolução natural, por isso é que foi definido o conceito cadeia alimentar xD

    Responder

  30. eu acho que a dor não é para ataque ou fuga, a dor é para haver percepção de que há uma lesão… o que influência o comportamento de fuga ou ataque não é a dor, mas sim os processos emocionais

    Responder

  31. Posted by Tiago Palma on Novembro 9, 2014 at 16:40

    Tudo muito questionável. Não podemos fazer afirmações dais quais não sabemos. Os avanços tecnológicos podem revelar coisas inimagináveis. Se alguem tem dúvida, veja essa matéria.

    http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/a-inteligencia-das-plantas-revelada

    Responder

    • Posted by Daphne on Dezembro 10, 2014 at 23:06

      Caro Tiago Palma, achei seu comentário bem feito e muito apropriado. Sou vegetariana, feminista e defensora da vida, seja ela animal ou vegetal. Acredito que, assim como muitos onívoros têm preconceitos com quem é contrário à ingestão de carne, muitos vegetarianos, como esse(a) autor(a), têm aversões infundadas aos defensores das plantas. Esquecem-se, infelizmente, que a aparência nem sempre corresponde à verdade e que nós, seres humanos, somos apenas uma das muitas espécies existentes e não podemos julgar um ser vivo em senciente ou não só porque nosso cérebro tão pouco treinado nos incita a vê-los como seres inanimados. A propósito, adorei o artigo que você indicou, assim como o postado por Wellington. Espero que um dia o ser humano se torne menos preconceituoso e pesquise mais ao invés de conceber e difundir ideias pré-fabricadas.

      Responder

    • Perfeito exemplo, Tiago! Esse texto repleto de arrogância e ignorância científica mostra o quanto necessita de vitaminas morais uma espécime dessa ordem. O Vegetarianismo e o Veganismo estão acima do que essa “pensadora” consegue expressar(sic).

      Responder

  32. Posted by wellington on Setembro 27, 2014 at 15:35

    Pesquise primeiro antes de criticar o que não sabe e não apresente como ciência o seu achismo. http://www.megacurioso.com.br/m/44796.htm

    Responder

  33. Posted by Paulo Fabiano on Setembro 22, 2014 at 16:01

    Quem sente dor é quem tem nervos, fora isso o resto é balela…

    Responder

  34. Posted by Wm on Agosto 26, 2014 at 01:34

    Existem pessoas e animais que não sentem dor alguma, alias não sentem nada. Seguindo o mesmo raciocínio, já que elas também não sentem nada assim como supostamente os vegetais não sentem, não ha problemas em matar essas pessoas e comê-las, certo? Ou pessoas paraplégicas. Veja que desperdício: quantas pessoas no mundo não sentem as pernas (parte do corpo inclusive não vital para o ser humano) e não as usam para nada. Não há problema então se eu amputar as pernas de um paraplégico e colocá-la no freezer em pedaços né?

    Vocês estão desatualizados. Já existem pesquisas que comprovam que as plantas sentem medo durante algum perigo, tanto que existem plantas que se fecham ao toque (eu tinha uma dessa) ou acionam outros mecanismos de defesa.

    Garanto a vocês que um dia, quando a comida artificial estiver ao alcance do consumidor e todos forem vegetarianos, farão protestos contra o vegetarianismo. Nesse ponto já estará mais que provada a capacidade dos vegetais de compreender e sentir, porem de outra forma.

    A carne que vocês tanto descreveram é feita de material orgânico (proteína por exemplo). Esse alimento vem dos vegetais, resumindo a história. Ou seja, é o “mesmo” material no fim das contas, porém transformado. Cadáver ou não, carne ou vegetal, estamos ingerindo matéria orgânica. Quando eu morrer e for doador de órgãos, outras pessoas utilizaram a matéria q antes compunha meu corpo. Essa matéria não sou eu. Aí vem o problema do sofrimento e dos maus tratos a animais, que nesse aspecto concordo demais, é horrível. Mas lembre-se que a séculos, milênios atrás fazíamos atrocidades que antes achávamos super normal. Talvez, um dia, arrancar uma planta da terra se torne uma atrocidade.

    Contudo, se eu conseguir, eu prefiro me tornar vegetariano um dia, pois acho menos pior. Mas ser vegetariano não te torna superior a ninguém. Essa é minha opinião.

    Responder

    • Posted by Wm on Agosto 26, 2014 at 01:36

      Utilizarão*

      Responder

    • Posted by Rita on Dezembro 13, 2015 at 05:33

      Concordo com vc. Alguns vegetarianos e veganos estão como crentes fanáticos tentando impor suas escolhas. Cada um come o que quiser. Se vc não come carne não tente impor isso a outras pessoas. Isso é chato e as pessoas como eu que penso muito nisso, acabam por desistir da ideia de parar de comer carne pq fanáticos tentam impor o q vc deve ou não fazer.

      Responder

  35. vegetais sentem medo, mas não dor física,pois não tem consciência individual como animais ,principalmente os mamíferos que se prendem ao corpo na hora do abate sentindo todo o horror,dor…….vegetais tem capacidade de sair facilmente do corpo, anestesiando a dor…. por isso deus ou a natureza recomenda vegetais para nosso consumo, até que com evolução vivamos de luz ou prana direto do ar http://vone333.no.comunidades.net

    Responder

  36. Sua “ciência” é da idade das trevas, só acreditar no que ver e pode ser demonstrado. Um grande nada, plantas sim sentem dor, mas não podem fugir ou se mover, a maioria, o que elas fazem pra se defender é mudar a composição química das substâncias que trafegam em seus sistemas, mantando pequenos insetos, ou alertando as plantas irmãs para que mudem a toxidade de duas folhas para não serem devoradas. É hipocrisia defender os animais somente, quer fazer bem para os seres vivos? seja necrófilo, seu grande aglomerado de células PROcariontes (sim procariontes mesmo).

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: