SOJA

SojaSoja é um grão rico em proteínas, cultivado como alimento tanto para humanos quanto para animais. A soja pertence à família Fabaceae (leguminosa), assim como o feijão, a lentilha e a ervilha. A palavra soja vem do japonês shoyu. A soja é originária da China.

O maior produtor de soja do mundo são os Estados Unidos, seguido do Brasil, Argentina, China, Índia e Paraguai.[1] A produção mundial de soja em 2004 foi de 190 milhões de toneladas.

O óleo de soja é o mais utilizado pela população mundial no preparo de alimentos. Também é extensivamente usado em rações animais. Outros produtos derivados da soja incluem óleos, farinha, sabão, cosméticos, resinas, tintas, solventes e biodiesel.

No Brasil até o século XIX a soja era plantada na Bahia,[2] em pequena escala, mas, sua disseminação pelo Brasil se deu graças aos imigrantes japoneses.[2]

A soja é uma das plantações que estão sendo geneticamente modificadas em larga escala, e a soja transgênica está sendo utilizada em um número crescente de produtos. Atualmente, 80% de toda a soja cultivada para o mercado comercial é transgênica. A Monsanto é a empresa líder na soja geneticamente modificada.

A soja é considerada uma fonte de proteína completa, isto é, contém quantidades significativas de todos os aminoácidos essenciais que devem ser providos ao corpo humano através de fontes externas, por causa de sua inabilidade para sintetizá-los.[carece de fontes?]

Como ilustração do poder nutritivo da soja, saliente-se o fato de que ela é o único alimento protéico fornecido por organizações humanitárias a africanos famélicos. Com uma alimentação exclusivamente baseada em soja, crianças à beira da morte recuperam todo o seu peso em poucas semanas. Esse fenômeno ocorreu em larga escala nas crises humanitárias de Biafra (Década de 1970), Etiópia (Década de 1980) e Somália (Década de 1990).[carece de fontes?]

O processo de beneficiamento da soja, incia-se com o esmagamento, no qual basicamente se separa o óleo bruto (aproximadamente 20% do conteúdo do grão) do farelo, utilizado largamente como ração animal. O óleo bruto passa por um processo de refino até assumir propriedades ideais ao consumo como óleo comestível.

Embora a soja seja utilizada na cozinha chinesa desde o século XI a.C, apenas no início do século XX chegou ao Ocidente.
Muitos estudos actuais comprovam que os produtos à base de soja, como a proteína texturizada, o tempeh ou o tofu, reduzem o risco de cancro da mama e da próstata, aliviam os sintomas da menopausa, como ondas de calor e suores nocturnos, ajudam a controlar a diabetes, a osteoporose e arteriosclerose.

A soja é uma planta herbácea e tem aproximadamente 10.000 variedades. É da família das leguminosas (popularmente é um feijão) e teve sua origem na China, onde é bastante utilizada desde o século XI a.C. Foi considerada uma das 5 sementes sagradas, sendo-lhe atribuída a própria sobrevivência da China, devido ao seu uso nutricional como principal fonte proteíca.
É também de extrema importância para a agricultura, pois tem uma bactéria que fixa o nitrogénio no solo. A sua parte comercializada é a semente, variando de tamanho, cor e forma, como também quanto ao teor de óleo e proteínas.
A de maior comercialização é a de cor amarelada e arredondada, por ser privilegiada com o melhor sabor. A soja chegou ao Japão entre o terceiro e o oitavo séculos d.C. Actualmente é conhecida como “Rainha da Cozinha Japonesa”, tal a variedade de produtos dela oriundos: missô, shoyu, tofu, natô, entre outros. O primeiro país ocidental a usá-la foi a Inglaterra, que em 1908 recebeu a primeira carga para obtenção de farinha e óleo. Aos Estados Unidos só chegou em 1924, transformando-se desde então no seu maior produtor, seguido pelo Brasil.

No Ocidente o seu principal uso foi sempre o óleo, já que o grão, farinhas e bagaço eram usados apenas na ração animal.
Actualmente a situação está a alterar-se, por influência das cozinhas chinesa e japonesa, bem como por influência dos vegetarianos e veganos, que encontraram na soja uma óptima fonte proteíca.
Um dos derivados de soja mais utilizados é a P.V.T. (Proteína Vegetal Texturizada), conhecida também como “carne de soja”. Obtida do grão de soja, após o processo de extracção do seu óleo é constituída em média de 53% de proteína de alto valor biológico.
É um alimento extremamente versátil e absorve facilmente o sabor dos temperos, podendo substituir a carne em diversas preparações, como strogonof, feijoada vegetariana, jardineira vegetariana, sojaburgers, croquetes, recheios, refogados, etc.

Um 1 Kg de soja equivale a 3 Kg de carne em proteínas. É uma das maiores fontes de nitrogénio, bem como o alimento mais rico em lecitina, que tem como base o fósforo, o qual faz parte de todas as células do organismo. É ainda um alimento rico em potássio (2.200 mg) e nas vitaminas A, B, D e E. Há quem afirme que ela provoca descalcificação dos ossos. Mas a ideia está longe de ser consensual. Pelo contrário, a verdade é que cada 100 gramas de grão contêm 90 mg de cálcio, e a ideia da descalcificação parece ter sido um falso mito criado em torno do produto.

O que a medicina já sabe sobre os benefícios da soja

1. Coração: a ingestão de 25 gramas por dia de proteína de soja reduz o LDL, o mau colesterol, cerca de 33%.
2. Prevenção do cancro: o consumo diário de soja e seus derivados diminui a incidência de cancro da mama e da próstata até 50%.
3. Menopausa: a soja atenua os desconfortos do clima, como os suores nocturnos e as ondas de calor.
4. Osteoporose: o fitoestrogénio genisteína ajuda a fixar o cálcio e fortalece a estrutura óssea.
5. Diabetes: as fibras do grão de soja agem como reguladores do nível de glicose.
6. Arteriosclerose: a hormona vegetal isoflavona torna as artérias mais flexíveis e reduz o índice da doença.

Referências

Fonte

  • Excesso de soja leva a pedras nos rins
  • Isoflavonas de soja
  • Opinião de uma nutricionista sobre a soja
  • Soja&Derivados
  • Soja, o futuro dos petiscos
  • 2 responses to this post.

    1. tudo na natureza é perfeito até mesmo o imperfeito…!

      Responder

    2. Posted by LUCIA MOREIRA on Março 23, 2011 at 02:00

      Ñ SEI DE NADA SO SEI Q GRASSAS A DEUS VEGANISMO ESTA CRESENDO, SOMOS A FAVOR DA VIDA E SO ISTO GENTE SE PUDESEMOS EVITAR A MORTE DE COMUDONGOS,E OUTROS MAIS NOS FARIAMOS,MAS SEI Q TMB SEMPRE ENFRENTAREMOS POBLEMAS,PORQ SOMOS IMPERFEITOS INFELISMANTE.

      Responder

    Deixe uma Resposta

    Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

    Logótipo da WordPress.com

    Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

    Facebook photo

    Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

    Google+ photo

    Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

    Connecting to %s

    %d bloggers like this: