VEGETARIANISMO NO TEMPO

extraído do livro: Yoga da Alimentação de Chiang Sing

Um texto forte, que deve ser lido sem idéias pré-concebidas, descrevo-o quase na íntegra.

Um dos maiores filósofos gregos, Pitágoras, condenava o hábito de comer carne. Os pitagóricos eram vegetarianos e faziam refeições simples. Um pouco mais tarde na Grécia havia Hipócrates, o Pai da Medicina. Foi o maior médico da Grécia, e dizia:

“Todo o homem deve ser um aprendiz da natureza. Se realmente deseja cumprir o seu dever, deve tratar de conhecer as relações que existem entre a saúde do homem e a sua alimentação”.

Os mais antigos exemplos do vegetarianismo vem daa tribo dos Hunzas . Que vem há muitos séculos de uma vida tranqüila com saúde excelente e longevidade estraordinária. Homens de 80 anos tem a mesma força e aparência de jovens de 30. Eles seguem a doutrina budista e seguem a palavra de Buda :

“Feliz seria a terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentassem de alimentos puros, sem derrame de sangue. Os dourados grãos, os reluzentes frutos e as saborosas ervas que nascem para todos, bastariam para alimentar e dar fartura ao mundo.”

Jesus Cristo viveu e ensinou a vida vegetariana. No evangelho original tem um título de “ O Evangelho dos Doze Santos “ , Jesus diz no capitulo 21 :

“ Vim para abolir as festas sangrentas e os sacrifícios, e se não cessais de sacrificar e comer carne e sangue dos animais, a ira de Deus não terminará de persegui-los, como também perseguiu a vossos antepassados no deserto, que se dedicaram a comer carne e que foram eliminados por epidemias e pestes.”

No apocalipse de São João, cap. 22 , verso 2 são encontradas as seguintes palavras:

“As folhas das árvores serviam de alimentos para os povos”.

Basílio, Patriarca dos Monges Orientais, Arcebispo de Cesaréia, escreveu em suas cartas :

“ O corpo que se alimenta de carnes é mais propício a ser vítima das enfermidades. Uma maneira de viver moderada torna o homem mais sadio e mais forte, e corta as raízes das enfermidades. Os vapores dos alimentos de carne obscurecem a luz do espírito…”

Muitas pessoas afirmam que Jesus nunca proibiu que se comesse carne e até mesmo disse: o que contamina o homem não é o que entra pela boca e sim o que sai pela boca do homem”. Essas pessoas esquecem que Jesus falava por parábolas e não podem ser interpretadas, em seu sentido literal, pois Jesus era vegetariano, como foram também todos os cristão primitivos, conforme é comprovado pelas obras de S. João Crisóstomo, e na carta de Plínio so Imperador Trajano na qual dizia :

“Todos os cristãos primitivos se abstinham de comer carne”.(Ep. Liv.X, 96, Ed. Goshen)

Os vestígios deste fato ainda existem em nossos dias. Prova-o a Igreja Católica, ordenando a abstinência de carne em certos dias, como a sexta-feira da Paixão.

Somente quatro séculos depois de Cristo que pela primeira vez se permitiu comer carne aos sacerdotes cristãos. Foram os discípulos de São Paulo que substituíram o ensino original de Jesus, de modo que o uso de comer carne e peixe foi tolerado, a princípio, a titulo excepcional. Foram eles que solicitaram o “ Concílio de Ancyra” , na qual todos os cristãos vegetarianos foram compelidos a comer carne. Os padres vegetarianos que se negaram foram destituídos de seus cargos.

Segundo S. Clemente de Alexandria (150-120) :

“ os sacrfícios animais foram inventados pelos homem como um pretexto para comer carne “

Depois de Jesus, São Clemente foi o cristão que mais influiu para fazer que cessasse o triste costume judeu de sacrificar animais.

São Francisco de Assis era um vegetariano e tinha grande piedade para com os animais. Vegetarianas foram as primeiras congregações cristãs : franciscanos, domicicanos e ainda hoje o são os monges trapistas.

Sem dúvida Jesus era vegetariano, por mais que queiram invocar o milagre dos peixes e que, de acordo com o rito judeu, ele tivesse que comer o cordeiro pascal. Como podemos explicar que na ceia, só tivesse dado aos seus discípulos pão e vinho? E o pão nosso de cada dia? O professor Delitsch, grande autoridade bíblica, afirmava:

Jesus só se alimentava de pão e algumas vezes de “opson” . Opson foi o que algumas autoridades traduziam como peixe, e daí que Jesus seja apresentado em quadros sentado perto das margens do lago Tiberíades, comendo peixe e pão. Porém nisso há um grande erro de tradução, pois segundo outra autoridade no assunto o Professor Springer, em seu livro Enkarpa, pág 147, opson era o nome que os antigos gregos davam aos alimentos que acompanhavam o pão, tais como azeitonas, figos e tâmaras. Mas os antigos atenienses em pregavam também esta palavra para designar o peixe.”

Na verdade seria absurdo que os discípulos de Jesus não seguissem o regime alimentar de seu Mestre. Sabiam bem o que Jesus queria dizer quando falou : “Quero piedade e não sacrifícios”. Alguma razão poderosa devia ter existido para que, como disse Plínio a Trajano, todos os cristãos primitivos fossem vegetarianos. E este só poderia ter sido um mandamento do Mestre, mandamento este que infelizmente depois foi esquecido por seus seguidores.

A substância astral inferior que emana da carne do animal sacrificado, penetra na aura dos seres humanos, provocando maior densidade em sua transparência natural, impedindo os altos vôos do espírito.

Os iniciados de todos os tempos e de todas as eras faziam refeições simples. Os sacerdotes egípcios , que iniciaram Moises nos segredos do deus Amon, tinham de jejuar e alimentar-se exclusivamente de frutas antes dos ritos iniciáticos. Os Essênios, doutrina a qual pertencia Jesus, eram estritamente frugíveros.

Na Índia não só sacerdotes brâmanes, como a maioria do povo são vegetarianos. Ainda hoje não é de admirar que os sacerdotes brâmanes sintam um certo desprezo pelos missionários cristãos, que falam de uma religião de amor universal, quando eles mesmo violam ,todos os dias, esta lei de bondade e piedade que devemos dar a todos os animais, nossos irmãos menores.

Zoroastro, o grande iniciado persa expressa o seu pensamento na preciosa obra Zend-Avesta:

“ A consciência individual constitui o cume de toda a criação animal e sua destruição é uma violação do pensamento da existência coletiva e equivale a um crime.”

Muitas pessoas citam o cap.10 dos Apóstolos, versos 11 a 17, querendo, com estas palavras provar que Deus autorizou o homem a comer tudo. Mas esquecem que a visão é simbólica e sua verdadeira interpretação se encontra no versículo 28…

Durante a Idade Média o vegetarianismo caiu no esquecimento.

O fato de nos alimentarmos de uma maneira racional, purifica certamente o sangue, suaviza nossa reações, permitindo que de certo modo possamos dominar a “besta” que mora dentro de nós e que muitos chamam de Eu Inferior, o qual é estimulado pela alimentação carnívora.

Para que o vegetarianismo seja uma ajuda na evolução humana, devemos ter sempre na mente, a idéia de estarmos trabalhando numa senda que nos conduzirá a uma vida superior no plano espiritual. Caso contrário o vegetarianismo será apenas uma muleta para sustentar o nosso Eu egoísta.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: